"Deus tem agora um sério concorrente" (Epitáfio para um sociólogo, José Paulo Paes)

PÁGINAS

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

"DESGLOBALIZAÇÃO" E XENOFOBIA


O primeiro ministro britânico Gordon Brown demonstrou bastante preocupação com a crise atual, chegando a cunhar um neologismo "desglobalização". A expressão surgiu no dia 30 de janeiro, em uma coletiva em Davos.

Isso mesmo! Como já não bastasse a dificuldade de entender e interpretar a "globalização" e os seus diferentes significados ainda temos que adicionar um antônimo.

Para Gordon Brown, o capitalismo deve tomar providências para que o mundo tenha uma globalização "mais bem administrada".

Depois da bonança, vem a tempestade e com ela surge o que há de pior na sociedade.

No mesmo Reino Unido de Gordon Brown, trabalhadores britânicos realizaram um protesto em uma refinaria de Lincs, Escócia. Motivo: A "contratação" de 300 funcionários italianos e portugueses pela empresa Irem para a construção de uma refinaria.

Esse é apenas um dos efeitos políticos em momentos de crise econômica. O protesto já ganhou a adesão de partidos de extrema direita, alguns grupos pedem a saída do Reino Unido do bloco europeu.

Em 2007, Gordon Brown, numa convenção dos trabalhistas defendeu que os "empregos britânicos" seriam para os "trabalhadores britânicos".

E não é só no Reino Unido que atitudes de xenofobia vêm se manisfestando. No Japão, imigrantes (inclusive brasileiros) estão sendo atacados, na Itália médicos estão recebendo recomendações para delatar estrangeiros e nos EUA propagandas de TV orientam a não contratação de mão de obra imigrante.

Como sempre em toda em toda história da humanidade, é mais fácil culpar os outros pela crise.

- Dados extraídos:
Folha de São Paulo 31/01/09: "Pânico faz Brown temer 'desglobalização'"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...