"Deus tem agora um sério concorrente" (Epitáfio para um sociólogo, José Paulo Paes)

PÁGINAS

sábado, 26 de junho de 2010

A TORNEIRA PINGANDO



Alguns momentos são simbólicos.
Afinal, qual o limite entre sentimento verdadeiro e as exigências sociais?
A todo momento as pessoas se enganam com meias verdades, que são obrigadas a produzir e acreditar. 
Nesse contexto, o não é dito torna-se muito mais importante.
É possível perceber isso na dinâmica de uma casa, onde móveis fora do lugar ou a torneira pingando não é desleixo ou pura falta de organização, mas sim sinal de que há indiferença, que não existe mais o sentido da convivência a dois, que tanto faz se a torneira está pingando ou um dilúvio arrasou com tudo.
A torneira pingando é sinal que a fonte dos sentimentos já secou há muito tempo!




Soneto De Separação
Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes / Antonio Carlos Jobim

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama

De repente não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente

Fez-se do amigo próximo, distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...