"Deus tem agora um sério concorrente" (Epitáfio para um sociólogo, José Paulo Paes)

PÁGINAS

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A GERAÇÃO 'Y' NA MÚSICA DA PITTY


Logo de início a música da cantora Pitty revela um certo niilismo diante da vida. Nada a afeta, nem verdades, não há motivos, doutrinas ou respostas. Até o tédio contestador, tão importante para a chamada geração beat dos anos 50, não é motivo suficiente para abalar os sentimentos da cantora símbolo da geração Y, que são considerados os nascidos entre os anos de 1978 e 1990.

Carregando como características as influências de um mundo marcado pela tecnologia da informação, possuem habilidade de racíocinio, fazem várias coisas ao mesmo tempo, não seguem padrões e normas estabelecidas pelos seus antecessores, enfim, é a geração conectada com tudo a todo momento.

Mas isso coloca algumas dúvidas! Será então que o papel da juventude como elemento transformador da sociedade já não se faz mais presente na geração Y?
Afinal de contas temos liberdade, excesso e acesso aos bens de consumo, não há mais ditadura no Brasil e nem repressão, os jovens podem se manisfestar a vontade etc.
O que fazer então?

Sem dúvida a geração Y tem mais coisas a fazer do que as gerações passadas, sem precisar falar a bendita frase: "como eu queria ter nascido naquele tempo".
Basta apenas que a consciência desperte "a cada banho de chuva", molhando o corpo e a mente.

Um comentário:

  1. Indico o blog http://cafecomsociologia.blogspot.com/

    Muito bom, assim como o seu.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...